6 de jan de 2014

Bruxismo Infantil

Sabe aquele barulhinho agoniante de garfo riscando panela? Que arrepia, dá agonia?
Pois é, o barulhinho do ranger dos dentes (bruxismo) dá exatamente essa sensação, eita agonia danada.
Eu não sabia do incômodo, do barulhinho agoniante que o Preto tanto falava, tinhas ocasiões eu acordava com ele segurando meu maxilar, de forma que eu parasse de ranger os dentes.

Nessa época, procurei me informar de forma simples o "por quê" do bruxismo e me falaram que era estresse. Eu? Imagine, sou uma pessoa tão calma, rs. Quem é que mora em SP, nessa cidade calma, pouco trânsito e ainda consegue ficar estressada? #Ráá

Até uma noite eu levando a Mimi para fazer aquele "xixizinho maroto", escuto o "tar" do barulhinho incômodo. Não sabia se acordava ela pra falar pra ela parar #não, se segurava o maxilar dela #nãoacreditoqresolva.

Mas calma ai, a pequena beirando os 3 anos com estresse? Hummm, me intrigou. Bora fazer uma pesquisa mais detalhada, perguntar para profissionais como: psicóloga, pediatra, odontopediatra.

E agora bora compartilhar com vocês o resultado da minha pesquisa, consultas.
Nada melhor do que começarmos explicando o que é o "tar" do:

                                          Bruxismo 
    O bruxismo é o hábito de ranger e apertar os dentes, consciente ou inconscientemente, causando um desgaste excessivo. Geralmente aparece a noite durante o sono, mas pode acontecer durante o dia também. Não há idade específica para se manifestar. Pode iniciar na primeira infância e cessar na adolescência ou surgir na idade adulta, até mesmo na 3º idade.


E por que acontece?
Alguns profissionais chegam a comentar que é comum observar o ranger dos dentes em crianças até os 6 anos por uma necessidade natural do organismo de acomodá-los e se preparar para a troca da dentição. Até esta idade a criança através dos movimentos de lateralidade pode apresentar uma abrasão das pontas dos caninos, e esta atividade muscular ativa o crescimento e desenvolvimento fisiológico das bases ósseas. Esse é o bruxismo considerado “fisiológico”.
Precisamos, no entanto ficar atento para o bruxismo “patológico”, onde o desgaste dental é mais importante e a criança pode apresentar dores musculares, dores de cabeça ou dores na ATM (articulação temporo mandibular). Nesse caso, o diagnóstico preciso é bastante difícil por se tratar de um problema com causas multifatoriais.

Quais são as possíveis causas do bruxismo?
Diversos fatores contribuem para o aparecimento do bruxismo. Entre algumas causas:
- Fatores Oclusais: quando existem interferências dentais que impedem que a mordida tenha um bom encaixe;

- Fatores de Ordem Sistêmica: respiração bucal, deficiências nutricionais, distúrbios neurológicos (p. ex. autismo);

- Fatores Emocionais: stress, agenda lotada de atividades, a chegada de um irmão, divórcio na família, escola nova, hiperatividade, entre outros;

- Fatores Hereditários;

- Hábitos Alimentares Inadequados. Crianças que não mastigam alimentos consistentes e não usam a sua função mastigatória podem procurar suprir esta necessidade através do ranger dos dentes.

E quais são as consequências do Bruxismo?
Em pacientes que desenvolveram o hábito indesejável, podemos observar sinais como desgaste dental com consequências mutilantes em diferentes graus de evolução, eventuais trincas, fraturas e mobilidades dentárias. Os pais podem relatar que os filhos se queixam de sensibilidade dentária ao se alimentar, dores musculares (cansaço ao acordar) e dores de cabeça frequentes.

A alimentação interfere neste processo? Como deve ser a nutrição de uma criança com bruxismo?
Existem relatos que mostram hábitos alimentares inadequados, como fatores que interferem no processo. Crianças que não mastigam alimentos consistentes e não usam a função mastigatória podem procurar suprir essa necessidade através do ranger dos dentes. Mas isso não está totalmente definido. Alimentos estimulantes, como refrigerantes e chocolate também podem ser responsáveis pelo aparecimento do bruxismo.


Como tratar?
A literatura sobre o bruxismo infantil é escassa e não existem certezas sobre as causas, nem fórmulas mágicas para eliminar rapidamente o hábito. Assim, cada paciente deve ser analisado e tratado individualmente pelo dentista.
Se a causa for uma interferência dental, um ajuste oclusal ou o uso de aparelho ortodôntico será necessário a fim de proporcionar maior conforto e equilíbrio para essa mordida. O uso de placas de mordida para crianças é um tanto controverso pelo fato de interferir no crescimento natural da arcada dentária. A idade para se começar algum tratamento depende da gravidade do caso e da colaboração da criança.
Algumas vezes pode ser necessária a ação de outros profissionais da saúde, como: pediatras, psicólogos, otorrinolaringologistas e fonoaudiólogas. Enfim, cada caso é único e deverá ser tratado o mais cedo possível.

Podemos prevenir o bruxismo?
- É possível minimizar as chances de a criança ter bruxismo através do acompanhamento periódico do odontopediatra, que estará atento aos possíveis sinais e sintomas.
- Estimular alimentos fibrosos e em pedaços desde pequenos, para que possam desenvolver uma mastigação vigorosa e eficiente;
- Organizar o momento do sono: evite deixar luzes acesas, assistir televisão em volume alto ou usar o computador ou videogame antes de ir para a cama;
 - Deve-se incentivar a criança às práticas esportivas;
 - Devemos ficar atentos às alterações respiratórias das crianças.

Em um primeiro momento, o que fazer?
Levar a um profissional para que seja detectado o bruxismo patológico ou fisiológico. Sendo patológico, será feito uma plaquinha para a criança dormir, mais conhecido como o pijaminha de dente, promovendo assim, o relaxamento muscular. Feito isso, é preciso cuidar da causa, o que esta  gerando ansiedade nessa criança a ponto desencadear um ranger noturno.
Dados Curiosos e Interessantes
- Bruxismo é mais comum na infância (14 a 38%) do que na idade adulta (±8%).
- Crianças com Bruxismo tem 16 vezes mais chances de serem ansiosos.
- Se um dos pais tiver Bruxismo, a criança tem 1,8 vezes mais chance de ser bruxista também.
Taly, com a palavra...
Quanto aprendizado não é? Bom, pelo aprendizado podemos notar que entre 2-3 anos é até normal do ranger dos dentes, considerado como Bruxismo Patológico, não que não pode evoluir para Patológico. Mas nas causas e prevenção vi hábitos que a gente vê por aqui
- Preguiça de Mastigas;
- Doces e Refrigerante: apesar de liberarmos doces somente aos finais de semana, mas de qualquer forma ainda consome. 
- Mudança na rotina da casa: mudança de trabalho da mãe, pai.
- Fatores Hereditários: a mamãe aqui rainha em ranger a banguela, rs.
- Atividades Físicas: ela não para, mas borá colocar os esqueletos pra se movimentar mais e mais, rs.

Fonte: Pediatria em Foco, Gazeta de Caxias, Doutora Thaís, Juliana Dentista, Site da mamãe.

Comentários
0 Comentários

0 Comentários:

Postar um comentário

4 anos de blog? Uau!! Já fui tentante, já estive gravidinha e hoje mamãe da Emily que já está com seus 3 anos. Já fomos Mamãe de Primeira Viagem 2010, já fomos Dona Mocinha. E hoje somos o que VOCÊ preferir.
Seja bem vindo ao nosso mundo de muitos aprendizados e fique a vontade para comentar.
Te aguardamos!!

Os artigos desse blog são de direito reservado.
Sua reprodução, parcial ou total, mesmo citando nossos links, é proibida sem a autorização do autor.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal. – Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais.