8 de fev de 2012

Vocabulário Bebelinguístico


E o dicionário aqui se amplia a cada dia..rs. E eu como mamãe babona e “corujássa” comemora cada palavra nova...



Ti.a - Ti.tia
Ma.mã - ma.mãe
Ni.ni.na = menina
A.ma = te amo
Aum = dá um
A.dê = cadê?
Té? = quer?
Aua = água - té aua
Ca.ca = sujeira
Ba.ia = bala
Bo.a.ch = bolacha
Te.te = tetê
In.da = linda
Té.ta = quieta
Du = Biso
Di.a 


         Palavras importantes inexistentes no vocabulário da Emilystíca

Papai - fala Cacá (apelido do papai), mas não fala papai. E a mãe aqui não perde a oportunidade de zuar muito o papai com isso, afinal, eu jurava que ela falaria papai antes de mamãe né?rsrs

Vovó ou Vovô - nem ao menos um bobó ou bobô. As avós com uma audição ninja, diiiiiizem já ter escutado ela falar vovó, mas vaaai saba né?rsrsrs

E olhe só que interessante...

A comunicação é uma viagem que começa desde os primeiros minutos de vida do ser humano. Recém-nascidos com apenas 4 dias de idade conseguem distinguir os sons de uma língua dos sons de outra.

A aquisição de vocabulário de uma criança está diretamente ligada ao quanto a mãe fala com ela. Com 1 ano e 8 meses, filhos de mães que conversam bastante em casa falam 130 palavras a mais do que outros na sua idade. Com 2 anos, a diferença é de quase 300 palavras. Mães que usam sentenças complexas, não se restringindo só ao bi-bi e au-au, têm filhos que também falam de forma mais complexa.

Como a criança só será capaz de dizer o primeiro “mamãe” ou “papai” perto dos 12 meses de vida, até conseguir isso ela se vira muito bem com uma grande ferramenta que tem para expressar ao mundo o que sente ou quer: seu corpo. Usa o que os estudiosos chamam de linguagem não-verbal.

Como num sistema multimídia, em que som, imagem e movimento facilitam a compreensão, ela usa todos os órgãos dos sentidos para receber e mandar mensagens. "O bebê vive e expressa a emoção no próprio corpo. Por meio do olhar da mãe, da entonação de voz, da expressão facial, das pausas na fala do adulto, ele entende as coisas à sua volta. Os órgãos do sentido funcionam como um radar. “O bebê não entende o conceito da frase falada, mas sabe o que está por trás disso”. Ele percebe a diferença de ser chamado com uma voz suave ou ríspida, ser pego no berço de modo carinhoso ou apressado, ou ter a fralda trocada por alguém com cara amarrada ou sorriso aberto. Em resposta, a criança usa recursos corporais como sorrir, franzir a testa, mexer as mãos ou até abrir um berreiro.

As primeiras palavras aprendidas pela criança são as mais próximas do seu universo — por isso ela diz mamãe, papai e nenê. Nada é decorado. A criança aprende o que lhe foi ensinado, o que lhe parece fazer sentido.

Para cada coisa, a criança tem um nome, sem direito a sinônimo. Se existe uma xícara e o pai se refere a ela como caneca, a criança não vai entender do que se fala. Os sinônimos vão fazer parte da linguagem no final do segundo ano de vida. Para conhecer o mundo e seus nomes, a criança questiona tudo ao seu redor. Por volta dos 2 anos explode a onda de “o que é isso?” e, aos 3 anos, de “por quê?”.

No campo de estudos em torno da comunicação infantil há uma grande dúvida se a relação entre mãe e filho na fase intra-uterina pode ser chamada de comunicação ou se é uma troca biológica. Experiências com recém-nascidos de 48 horas de vida mostraram que eles ficavam calmos quando ouviam a língua materna e tornavam-se tensos ao som de um idioma estrangeiro, o que poderia sugerir que a aquisição da linguagem começa na barriga da mãe. Os trabalhos nessa área mostraram que falar é uma atividade inata que depende menos do que se imagina de fatores como educação, origem étnica, geográfica ou cultural.

A velocidade com que uma criança aprende a falar é impressionante. Do primeiro para o segundo ano de vida acontece um boom, no qual, a criança passa de um repertório de quarenta palavras no primeiro aniversário para, em média, 600 no segundo. Daí para a frente não pára mais de aprender a falar. É verdade que o ritmo vai ficando menos intenso e varia muito entre as pessoas.

Incorporamos novas palavras ao nosso vocabulário até os 30 anos, quando dominamos entre 80.000 e 100.000 termos — a língua portuguesa tem cerca de 400.000 palavras. Depois disso, diminuímos o ritmo, provavelmente porque as palavras mais comuns já foram aprendidas.

O que elas falam e com que idade?
Apesar de cada criança ter um ritmo próprio, que varia de acordo com a personalidade e os estímulos que recebe em casa, ela tem um vocabulário mais ou menos uniforme para cada idade. Confira:

•      Até 3 meses
Além de sua principal forma de comunicação, o choro, o bebê produz ruídos com a garganta e estala o céu da boca

•      3 a 6 meses
Emite sons ao acaso, brinca com os barulhos que produz e responde à sua maneira quando se fala com ela. A criança sorri quando quer a atenção do adulto e se diverte com jogos do tipo "Cadê o nenê? Achou!"

•      6 a 12 meses
Fase da lalação, do treino com monossílabos do tipo "ma-ma", "da-da", "ne-ne", que a criança diz como se estivesse conversando. Ela faz isso quando quer conseguir algo, chamar a atenção, recepcionar alguém, comer etc. Bate palmas, joga beijos e entende quando lhe dizem tchau. Começa a reservar cada som para um objeto específico, ou seja, não vai chamar a todos da casa de "mã-mã", por exemplo

•      1 a 2 anos
Fase do grande boom. A criança pode aprender duas palavras novas por dia, segundo estudos americanos. Ela primeiro faz frases de uma palavra só, tipo "nenê-bola, nenê-naná", mas termina o ano construindo frases de até três palavras como "quer ver tevê". Nessa etapa, a criança não se cansa de fazer perguntas para a família "Que é isso?"

•      2 a 3 anos
As frases vão aumentando e surge o plural. As formas verbais vão ficando mais corretas e começa a fase do "por quê", que exige grande energia dos pais. Cuidado: nessa fase, o grau de compreensão dos pequenos é espetacular. Eles entendem tudo o que se conversa à sua volta, até mesmo quando são dois adultos falando em grande velocidade

•      3 a 4 anos
Já constrói frases com até seis palavras, sobre o dia-a-dia, situações reais e pessoas próximas. A criança compreende a existência de regras gramaticais e tenta usá-las (como o correto é "eu bebi", diz "eu queri"). É comum a troca do R pelo L, como plato, blincar e tloca, que acaba até os 3 anos e 6 meses

•      4 a 5 anos
Espera-se que a criança fale cerca de 10.000 palavras. Ela expressa seus sentimentos e emprega verbos como "pensar" e "lembrar". Também fala de coisas ausentes e usa palavras de ligação entre as sentenças, como "e então", "porque", "mas" etc.

E como podemos estimular?Siiim...

 

Brincadeira da formiga no pé

Essa divertida brincadeira consiste em recitar um versinho apontado para os locais falados na música. Assim a criança vai associando a palavra ao local do próprio corpo.
Cante o seguinte versinho:
- Fui ao mercado comprar café (limão/jerimum/giz);
- E uma formiguinha subiu no meu pé, (mão, bumbum, nariz);
- Eu sacudi, sacudi, sacudi,
- E a formiguinha caiu aqui.



Toque o pé, mão, bumbum, nariz do bebê, ao dizer as palavras. Depois, cante novamente com outros nomes.
E como podemos estimular?Siiim...

Brincadeira da formiga no pé
Essa divertida brincadeira consiste em recitar um versinho apontado para os locais falados na música. Assim a criança vai associando a palavra ao local do próprio corpo.
Cante o seguinte versinho:

- Fui ao mercado comprar café (limão/jerimum/giz);
- E uma formiguinha subiu no meu pé, (mão, bumbum, nariz);
- Eu sacudi, sacudi, sacudi,
- E a formiguinha caiu aqui.

Toque o pé, mão, bumbum, nariz do bebê, ao dizer as palavras. Depois, cante novamente com outros nomes.

Opa, mas e a comunicação não – verbal da Dona Mocinha né?

- Aponta para o lugar/objeto e pra ela de novo = é meu ou eu quero ir lá
- Dá tchau e manda beijo e “pinica” pra porta afora
- Coloca a mãozinha na boca pra rir ou mostrar que está impressionada
- Abraça a nossa cabeça quando encosta nela e dá muito beijo
- Faz bico de beijo
- Manda beijo estalado
- Faz não direitinho com o dedinho esticadinho e ainda fala “não, não” – nem preciso falar que tenho que virar rapidinho o rosto pra não rir né?rsrsrs

E a mamãe segue cada dia mais apaixonada, se surpreendendo a cada momento com o crescimento constante de amor por minha pequena princesa de chocolate e por minha família.

NOVIDADE
A partir de hoje, na barra lateral terá todos os trabalhos do Dona Mocinha Festas e Personalizações, onde irei atualizar frequentemente. Assim, vocês poderão ir dando uma espiadinha nas fotos fresquinhas, fresquinhas!!!

E para as mamães que comentaram não saber o e-mail para solicitar um orçamento, é festas@donamocinha.com

10 comentários:

  1. Rs, amei o post...
    É muito gostoso ouvir cada palavrinha que eles falam, principalmente a maneira como falam. Por aqui esta assim cada dia surpreende com palavrinhas fofas.
    bjks na filhota!!

    ResponderExcluir
  2. Adorei!
    Deve ser lindo quando começa pronunciar as palavrinhas.


    Beeijos

    ResponderExcluir
  3. Taly!
    Nina está començando a balbuciar suas palavrinhas e é uma delícia! É mto gostoso acompanhar cada etapa do crescimento dos babies, né? Bjs
    (Adorei os trabalhos de festas! Mto capricho!!! Parabéns!!!)

    ResponderExcluir
  4. Essa fase é o máximo, a Baby tá que tá, mais ak em casa a palavra de ordem é não, fala e repete o dia toda, vários nãos, bjks

    ResponderExcluir
  5. Oi Taly, tudo bem,,,,, sou sua fã acompanho seu blog a muito tempo e admiro muitoooooo msm a sua luta pela vida...que Deus continue derramando bençaos em sua vida!!! minha linda preciso de sua ajuda o niver do meu campeao sera dia 3 de março e o tema é skatista.... preciso q vc me de ideias para personalizaçao... me adc no face deixei um convite pafra vc... e me mande orçamento de seu material por email...priscilabortolatopilates@yahoo.com.br

    gd bjo a vc e sua linda princesa

    ResponderExcluir
  6. Talyyyyyyyyyyyyyyy, vc vai estar no carnaval em SP? estamos indo prai. Queriamos tanto conhecer vcs !

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aeeeeeeeeeee vou estar sim lindonas, ai que tudoo conhecer vcs pessoalmente, EU QUERO, EU QUERO!!!!

      Excluir
    2. ebaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa. Van e Bruna já estão confirmadas !

      Excluir
  7. Hahahaaaaa
    Fiquei rindo sozinha enquanto lia que ela chama o papai d Caca !!!!
    Ele deve ficar doido né......

    bjusss

    ResponderExcluir
  8. Oi Taly te acompanho a algum tempo escondidinha, me emocionei com a sua história e varias outras mães, e resolvi criar o meu blog e dividir com vcs a minha história, a Emily é linda... Passa lá pra me conhecer. bjus

    ResponderExcluir

4 anos de blog? Uau!! Já fui tentante, já estive gravidinha e hoje mamãe da Emily que já está com seus 3 anos. Já fomos Mamãe de Primeira Viagem 2010, já fomos Dona Mocinha. E hoje somos o que VOCÊ preferir.
Seja bem vindo ao nosso mundo de muitos aprendizados e fique a vontade para comentar.
Te aguardamos!!

Os artigos desse blog são de direito reservado.
Sua reprodução, parcial ou total, mesmo citando nossos links, é proibida sem a autorização do autor.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal. – Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais.