11 de out de 2011

É Ciúme de Mãe por Dra. Thaíla Toledo


Tenho ciúmes da Emily #prontofalei e não é pouco não..rs. Mas o ciúme é da Emily com o pretinho e com a minha mãe. Quando a Emily dá os bracinhos pro papai ou para vovó com aquela vontade, aquela animação, algo se contorce aqui dentro...rsrsrs

Então quando a Thaíla me falou que estava para começar a escrever o post mensal para o Dona Mocinha, logo sugeri e ai está um post para nos deliciarmos...

É Ciúme de Mãe

Muito se ouve falar do ciúme que as mamães sentem com relação aos filhos. Ouvimos falar de mamães que não deixam ninguém pegar os bebês no colo.

Ou quando bate um incomodozinho com as brincadeiras mais que divertidas que o papai faz e deixam as crianças só na gargalhada!

Tudo por conta deste sentimento, que muitos consideram tão desonroso: o ciúme.

Para começar a entender o motivo deste ciuminho, vamos observar o processo mágico de ser mãe:

Você foi a pessoa que teve enjôos de repente...
Descobriu que estava grávida - um momento único e singular de cada uma...
Sentiu no próprio corpo as mudanças...
Carregou o lindo bebezinho e escutou seus batimentos cardíacos a cada consulta médica...
Temos ainda o parto, a primeira amamentação...
E mesmo que você seja mãe adotiva ou mãe “de consideração”...
Você vive aquele amor especial, único e sublime – esta é uma relação que não tem como se repetir em outras relações.
Amor de mãe é amor de mãe – não há outro igual.

Isto explica o ciuminho que bate quando você precisa deixar o bebê com a vovó e ele vai todo sorrindo; ou quando ele adora comer a papinha com o papai e você fica se sentindo “menos importante”...

O que você sente, é perfeitamente compreensível e normal.

Torna-se um problema quando a mãe deixa este ciúme tomar conta de tudo e todos à sua volta ou quando torna-se um ciúme doentio.

Quando por exemplo, a mãe impede a criança de experenciar coisas importantes, como conviver com amiguinhos, dormir na casa dos primos, viver suas aventuras e APRENDER! Pois, todas as experiências da vida nos servem de aprendizado.

E que mãe não quer que a criança aprenda a se virar sozinha, seja habilidosa socialmente, tenha coisas a contar. Ou que a criança absorva todas as experiências e aprendizados do mundo e se torne o melhor que ela possa ser!

Este sentimento é algo que devemos aprender a lidar com o passar do tempo. Seja com os pequeninos, seja com as crianças maiores, ou mesmo com os adolescentes. Podemos encarar como um exercício. Vamos tratar este sentimento com paciência e encará-lo aos pouquinhos, dentro do nosso limite; e descobrir formas de lidar e aprender a amenizar este incomodo/dorzinha que vem com este ciúme.

Por que lidar com o este ciúme é importante? 

Explico já: e quando o filhote tiver maiorzinho e quiser dormir na casa dos amiguinhos? Não é bom você estar preparada para quando isso acontecer? Fazendo esse exercício todos os dias, quando este dia chegar, você estará mais preparada. O mesmo para quando ele estiver na festinha dos 5 anos e só quiser saber da animadora da festa, ou quando ele fizer 18 e partir para um mochilão no Chile!

Agora, por que a criança parece estar tão bem com o pai, ou a avó, ou a babá?
Vamos pensar no papel de mãe: cuidado, amor, proteção.

A mãe que geralmente dá o banho, limpa as orelhas, dá o remédio amargo, insiste pra fazer o dever. São funções normalmente exercidas pela mãe, principalmente porque muitas vezes não existe alguém mais habilidoso pra isso do que ela!

Assim, quando surge alguém diferente (sua irmã para dar a comida de um jeito diferente, ou a avó que tem um outro jeitinho de colocar a roupinha), é comum a criança gostar da novidade. Lembre-se que a criança está na fase da descoberta, da exploração do mundo. E que ela quer e merece ser amada por todos à sua volta.

Pode ser difícil no começo, mas não se preocupe e lembre-se que mesmo sendo ainda um bebezinho, ou mesmo uma linda mocinha de 1, 2, 3, 4, 5 aninhos, eles sabem que a mãe é você. O amor especial é com você!
Colo de mãe não existe igual. Esteja sempre lá de apoio e suporte.

Eles sabem e sentem isso!

 




Um comentário:

  1. Nem me fale em ciumes. Tenho muito ciume do Isaac, mas me controlo.

    ResponderExcluir

4 anos de blog? Uau!! Já fui tentante, já estive gravidinha e hoje mamãe da Emily que já está com seus 3 anos. Já fomos Mamãe de Primeira Viagem 2010, já fomos Dona Mocinha. E hoje somos o que VOCÊ preferir.
Seja bem vindo ao nosso mundo de muitos aprendizados e fique a vontade para comentar.
Te aguardamos!!

Os artigos desse blog são de direito reservado.
Sua reprodução, parcial ou total, mesmo citando nossos links, é proibida sem a autorização do autor.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal. – Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais.