14 de jul de 2011

Polêmica: A Casa das Avós!!


Que nos sentimos seguras ao deixar nossos pequetuchos na casa das avós não se tem dúvida...

Mas ai entra as questões:
- Será que as avós estão afim?
- E se estão afim, até que ponto as avós devem interferir e se devem interferir na educação dos nossos filhos?

Será que as avós estão afim?

Foi a época em que as avós iam ao médico, mercadinho, açougue as 7h da manhã e a tarde ficavam apenas em casa, tricotando. Tudo (ou quase tudo) evoluiu e junto as mulheres e inclusivamente as avós.
Agora elas saem pra balada (acredite, minha sogra é uma delas), usam a internet como ninguém, mudando muito a velha imagem de avós.
E será mesmo que elas estão disponíveis para nos ajudar, ficar com nossos pequetuchos quando necessário?


E se estão afim, até que ponto as avós devem interferir e se devem interferir na educação dos nossos filhos?

Minha mãe é uma mega, blaster avó. Quando fiquei internada, foi ela quem ficou com a Emily, enquanto a outra avó ficou comigo no hospital. Uau, como me senti segura quanto a Emily, aliás ela estava com a minha mãe, a avó.

Confesso, que nos momentos psicológicas recaídas, sentia um pequeno ciúme: "Poxa, é o cheiro da minha mãe que ela está sentindo", "Minha mãe que está acompanhando o dia a dia dela" e assim por diante.
Mas, como falei: apenas recaídas, pensamento bestas. Além do mais, era minha voz, meu coração que a Emily escutou durante a gravidez, foi na minha barriga que ela foi gerada com todo amor...

Saí do hospital e não podia pegar a Emily, devido o peso e recentes cirurgias, então lá estava minha mãe para pegar a Emily, levar para o carro e assim por diante..

Quando fui liberada para pegar a Emily, logo chegou o momento de voltar a trabalhar (aliás tem e sempre terá contas a serem pagas, né?) e aonde a Emily ficou? Com a avó, que foi sugerindo de ficar com ela...ufa, que maravilha.

Ai vamos focar no subtítulo: "Até que ponto as avós devem interferir e se devem interferir na educação dos nossos filhos?"

Que nossas(os) pequetuchas(os) acabam ficando mais tempo com as avós do que com nós é óbvio, geralmente trabalhamos em horário integral..

E muito além de tudo isso, inicia-se um conflito ou os conflitos:

- A casa dos avós geralmente é um local onde tudo é permitido. Especialistas dizem que o melhor a fazer é trabalharmos em conjunto (pais e avós) e somar as experiências (AINDA não tenho esse tipo de conflito com a minha mãe...mas já vamos aprendendo né?) 

- Outra coisa que muitas vezes pode acontecer, é uma guerra para conquistar a simpatia da criança entre pais e avós. Então nada como muitas conversas e regras claras, onde fique claro que a palavra final é dos pais.

- E a educação das pequetuchas(os)? Devemos chegar em consenso, um meio-termo entre as vontades dos pais, avós e dos pequenos.

Uma dica legal para equilibrarmos os lados é não jogar a obrigação de cuidar da criança para os avós.

Em vários momentos cheguei a pensar se talvez não seria melhor uma escolinha/berçário para a Emily. Hã??
É isso ai, pois mesmo que minha mãe tenha sugerido de ficar com a Emily de 2º, 4º e 6º feira, as vezes sinto que posso estar incomodando ela sabe?

E além disso, a Emily não seria a 1º e nem a última a frequentar um berçário. Evitaria possíveis conflitos com a minha mãe quanto a educação e cuidados com a Emily, a Emily teria a possibilidade de ficar um tempo adequado com a avó, pois acho muito importante o carinho, amor e presença das avós e ao mesmo tempo não atrapalharia a vida pessoal da minha mãe.

Olha esse vídeo que bacana...fala sobre essa relação, conflitos e especialista dizendo como resolver




E a contratação de uma babá?


Acho essa uma excelente ideia e saída. Você irá desembolsar o mesmo valor ou até menos e ter um cuidado exclusivo para sua pequetucha(o).

Claro que ai entra diversos cuidados, como contratação de uma boa babá, de segurança, de preferencia através de uma indicação, com carta de referência e por ai vai...

Eu irei adotar esse método. Lembram que eu falei da "Fada Sheila"? (no post da sopinha/papinha para os bebês). Digo fada pois ela quem ficou comigo quando voltei do hospital (limpava, passava, cozinhava, arrumava meu guarda-roupa) e além de tudo isso é uma excelente cabeleireira, até começou a faculdade nessa área, então ela acaba sendo minha cabeleireira, tira minha sobrancelha...não é uma verdadeira fada?rs

Então, ela estava substituíndo a irmã dela no serviço, enquanto a irmã cumpria a lincença-maternidade. E falei com ela e amanhã (6ºfeira) é o último dia substituíndo a irmã. Assim, se Deus quiser 2ºfeira a Fada Sheila estará aqui em casa, cuidando da Emily e da minha casa...

Vai ser um alivio e tanto....

E um berçário para a Emily?

Por enquanto vou tentar com a babá (Fada Sheila), caso não de certo, procuraremos uma escolinha/berçário. Mas pensamos em escolinha para a Emily, somente quando ela tiver mais que 1 ano e 6 meses, de preferencia 2 anos para mais.



É um assunto polêmico (eu sei) e confesso que não me sinto totalmente a vontade pra falar sobre como me sinto em relação a tudo isso, aliás a família e amigos comuns em geral lêem o blog...vocês me entendem né?rs

E com vocês: 
- Possuem conflitos e quais conflitos com suas mães/avós?
- Que medidas tomaram para voltar a trabalhar? Avó, Babá, Berçário?

10 comentários:

  1. Bem, minha família toda mora em outro país, somente agora que vamos nos mudar é que o Elias vai ter contato com a vovó e o vovô. Mas eu sou bem chata em relação a educação, meus pais me conhecem e sabem que se digo não para alguma coisa eles não são capazes de fazer o contrário. Acho que respeito é o alicerce para qualquer relação funcionar.
    Também estou pensando em voltar a trabalhar e já está certo que meu pequeno vai ficar com a vovó, não imagino ele numa creche tão tiquinho!!!

    Com relação ao "ciúmes" dos filhotes, acho que isso é mega normal, somos animais racionais, muitos dos nossos comportamentos são puro instinto, daí que a mãe sempre quer lamber a cria e se enraivece se alguém lambe mais que ela... :-)

    Bjus

    ResponderExcluir
  2. sabe taly,eu vivo isso na pele tbem, minha mae quem fica com a sarah, e ja ta começando a dar pitaco, principalmente meu pai, e ele super ignorante, acha que nao devo fazer ou falar do jeito que falo.me desautoriza na boa!
    minha mae as vezes exagera, mas sempre procuro falar que é para o bem da sarah, ai ela manera.
    mas,eu preciso dela e a sarah tbem, entao relevo.
    mas te falo, tarefinha dificil viu!!!rsss
    bj
    www.gi-vidasaudavel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Por não ter coragem de colocar o Mi em creche/berçário com 3 meses (que é quando eu retornaria) eu me demiti. Poderia? Sinceramente, não. É um dinheiro que faz falta. Mas nem pensar em deixar com a sogra, que me desautoriza à beça, e tampouco com minha mãe, que além de morar noutra cidade, é apavorada e não possui nenhuma estrutura pra cuidar dele como eu gostaria e precisaria. É complicado...
    bjs, a Emily tá uma gatinha!

    ResponderExcluir
  4. Oi querida te sigo a algum tempo, agora resolvi criar meu blog tb.. me segue lá http://glaucetentante.blogspot.com/, sou uma tentante, e tb tô na luta para emagrecer para ter um gravidez tranquila, sonho com o dia em ter minha ou meu bombonzinho..kkk, somos negros tb..sua familia é linda...bjsss

    ResponderExcluir
  5. Taly! Que saudades de vc no meu cantinho...

    Então, eu nunca mais depois que voltei trabalhar, consegui me dedicar como antes para o meu bloguinho...

    Esse post seu é importante, eu aqui optei por uma babá em casa para me ajudar com as roupinhas dela, já que antes aqui não tinha ninguem trabalhando em casa..
    E nos fins de semanas, quando as vezes quero um cine ou outro passeio, ai sim a vovó ajuda, cuidando por algumas horas! rsrs

    Mas me conta, e esse beijo de assinatura?
    Super legal, como que vc coloca como assinatura, é uma imagem postada?

    Quero plagear...rs

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Eu não sei o que vou fazer para voltar a trabalhar....
    As avós aqui trabalham fora, babá só se for alguem conhecida e de muita confiança, não quero contratar alguem que nunca vi pq fulana indicou, não me sinto a vontade, a opção esta sendo a escolinha até agora, com muito dó mas pelo jeito é o que vai ser....

    ResponderExcluir
  7. Taly!!!
    Desde que me conheço por gente quis ficar com meus filhos em casa enquanto pequenos. Assim, não precisei me preocupar com creches ou babás. Mas, se eu tivesse que escolher, faria como tu: babá.
    E tenho certeza de que o Gui seria muito bem cuidado pela minha mãe, mesmo que a gente divirja em alguns aspectos.
    Beeeeijosssss

    ResponderExcluir
  8. É difícil decidir mesmo viu. Minha mãe precisou trabalhar qdo terminou a licença maternidade e eu fiquei com meus avós. Isso se estendeu até 6 anos de idade. Pra te falar a verdade, eu até que gostava de ficar lá, meu avô era muito divertido, mas deixei de aprender muita coisa, fiquei meio caipira até ir pra escolinha. Talvez seja uma opção deixar a Emily uma parte com a avó e outra no berçário, para ela ir se acostumando com as pessoas... quem sabe!
    bjs e um ótimo final de semana
    www.viviass.blogspot.com
    www.meublogdereceitasfavoritas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. O Gu vai pra creche. Minha sogra mora longe e com minha mãe não dá, por vários motivos: a saúde dela não anda muito boa, tem outros netos que estão lá quase todos os dias, e tem a questão da educação, eu penso diferente dela...

    Adoro a idéia da babá também. Tendo uma pessoa de confiança que ainda possa te ajudar na casa é o ideal!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  10. Oi Taly,
    Amo berçário e sou suspeita pra falar...lá se o berçário for bom, eles serão melhor estimulados do que em casa...fora o fato de não adquirirem os trejeitos e manias de avós e babás!
    Gosto muito e como perguntou pago R$ 390,00 por 4 horas no berçário do enrico!
    Bjinhos para vc e para Emily

    ResponderExcluir

4 anos de blog? Uau!! Já fui tentante, já estive gravidinha e hoje mamãe da Emily que já está com seus 3 anos. Já fomos Mamãe de Primeira Viagem 2010, já fomos Dona Mocinha. E hoje somos o que VOCÊ preferir.
Seja bem vindo ao nosso mundo de muitos aprendizados e fique a vontade para comentar.
Te aguardamos!!

Os artigos desse blog são de direito reservado.
Sua reprodução, parcial ou total, mesmo citando nossos links, é proibida sem a autorização do autor.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal. – Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais.